Textos


Conjecturas.
                                             Carlos Orlando

Poderíamos seguir, assim,
Os dois a flutuar na brisa da noite,
Poéticos, sonhadores,
Das madrugadas da vida;
Entretanto, no amanhecer,
Partistes, imprimindo na lama
Pegadas fugitivas.

Ao sabor de um brega, de certo,
Hoje, em teus periféricos bares,
Deves alimentar tuas noites sem rumo.
Sob as roupas, um sugado corpo
E ao rosto sonolento,
Não mais a musa do poeta,
Apenas simplesmente puta.
Carlos Orlando
Enviado por Carlos Orlando em 07/12/2006
Alterado em 31/10/2016


Comentários